Lazy breakfast

Imagem

As férias estão a chegar. Asfixiada por prussianos – e, por isso, improváveis – 40ºC, sinto que o Alentejo tomou a Prússia. Fecho as persianas, abro os vidros na esperança vã de uma leve aragem e, ao fim de semana, entrego-me ao deleite de uma longa sesta – que desejo tão longa quanto durar a hora de calor. Mas, loucura das loucuras, deixo-me cair na tentação de ligar o forno para enriquecer o pequeno almoço, longo, tardio, preguiçoso. O forno lá fora já está ligado. Mais um, cá dentro, não fará diferença. Derretido por 100, derretido por 1000. Pelo prazer de bruschettas a abrir a mais importante refeição do dia. 

Comecei por cortar dois tomates em pedacinhos miudinhos e temperei com salsa e 1 dente de alho muito picado. Sal e pimenta. Por cima de pãezinhos diversos cortados a meio e temperados com um fio de azeite, dispus o tomate, e por cima uma fatia de queijo. O meu favorito: Gouda de cabra. Foi a forno quente a 180 até o queijo adquirir a consistência e cor desejada. Do forno para a mesa, brilhou num pequeno almoço de fim de semana com outros actores também de grande calibre.

Salada para uma tarde de fim de Verão

O fim do verão aproxima-se. Setembro confere-lhe aquela luz dourada, aquela luminosidade que transforma em pura magia o fim de um dia de verão. Para celebrar o fim do verão e esquecer que a noite – ou o inverno prussiano – aí vem, absorvo os últimos raios de sol, dourados e quentinhos e faço uma salada de lentilhas. Cozo lentilhas qb, com sal e ervas (gosto de cozer as lentilhas verdes com funcho), lavo e rasgo alface e rucula, esfarelo um queijo de cabra fresco, junto as lentilhas cozidas e tempero com flor de sal, azeite e com hortelã, muitas hortelãs, desde a pimenta ao poejo.

*atenção à cocção das lentilhas, para evitar que se desfaçam: as verdes, cozo apenas 5 minutos, depois da água ferver, as beluga e as laranja deixo apenas tapadas e de molho em água a ferver, até estarem suaves.

Risotto rosa

Estou a adorar explorar o dicionário dos sabores. Entusiasmei-me com o par queijo de cabra – beterraba e não descansei enquanto não fiz a receita que a autora sugere para o par.

Comecei por cortar uma beterraba em cubos pequeninos e pu-la a cozer. Num tacho, pus azeite e juntei o arroz. Deixei fritar levemente, até os bagos estarem bem envolvidos na gordura. Não quis juntar vinho, então olhei para a garrafa ao lado e fui ver o que diz o livro sobre o par beterraba e maçã. Combina bem, conforme a autora, então arrisquei um cálice de sumo de maçã em substituição do vinho. Fui mexendo enquanto e arroz bebia o sumo e depois comecei a juntar a água fervente onde a beterraba cozia. Repeti o processo até toda a água e beterraba estarem no arroz. Depois, em vez de juntar manteiga, juntei uma colher de chá de queijo creme de cabra. Envolvi bem no arroz de cor vibrante e distribui o arroz nos pratos, Espalhei por cima do arroz cubinhos de Camenbert de cabra e alguma salsa picada e devorei, gulosa, este prato cor de rosa ao som de Vinicius.