Abóboras recheadas

Tinha três abóboras pequeninas que trouxe do mercado pensando recheá-las. Naquele dia, ao preparar o jantar, foi com uma certa dor que lhes espetei a faca na sua pele fina e carne consistente, pois tão bonitas ficavam na minha fruteira. Mas cortei-lhes as cabeças, fazendo tampas, raspei os caroços com uma colher e foram ao forno a 180 graus temperadas com sal, azeite e tomilho. Entretanto, cortei uma batata doce às fatias e juntei às abóboras.

Para o recheio, cortei uma mão cheia de cogumelos, um fim de zucchini amarelo, um palmo de alho francês e uma cebola. Cortei uma cebola, juntei bacon aos cubinhos, algum azeite e deixei cozinhar em lume brando durante uns 10 ou 15 min. No fim, juntei uma colher de sopa de crème fraîche e moí pimenta, mexendo bem. Quando as abóboras já estavam assadas (testei a consistência suave da sua carne), recheei-as com a mistura de legumes, colocando o resto dos legumes na assadeira a rodear as abóboras. Salpiquei com queijo ralado, pus-lhe os seus chapéus e voltaram ao forno a dourar. Muito bom.

O almoço de Natal…

… foi feito com as sobras da noite de consoada. Tinha batatas com alho, tomate cherry assado com azeite e temperado com coentros, tinha carne com molho, muito molho, e tinha a crosta verde. Faltava, mesmo com esta crosta, mais verde. Comecei por suar um zucchini e os floretes de meio bróculo numa frigideira com um pequeno gole de água e só por 5 minutos. Numa forma de barro redonda, fiz uma cama com as fatias de batata e os alhos despidos de sua camisa. Dispus o zucchini, os bróculos e pouco tomate que sobrou por cima das batatas. Depois, foi a carne, cortada em pequenos pedacinhos, para esta cama verde. Reguei agora tudo com o seu consistente molho de legumes e espalhei a crosta verde por cima, qual um crumble verde. Foi ao forno por cerca de 15 minutos a 180 graus, até a crosta dourar e foi para a mesa. E soube tão bem prolongar desta maneira o jantar de consoada para o dia de Natal!