The white Tiger

São poucos os livros que me prendem. Na verdade, cada vez menos. Na minha infância, qualquer livro de aventuras ou de banda desenhada me fazia viajar sentada no sofá. Hoje, a maior parte dos livros que leio são o meu soporífero. Viajo, sim, mas para o mundo dos sonhos.

Numa viagem a Londres, comprei este romance de Aravind Adiga e, no vôo de regresso, não estava sentada num lugarzinho apertado de um avião  low cost, mas totalmente submersa na estória do Tigre Branco. Gosto de livros assim, que me acompanham quando os não leio. Gosto quando os seus personagens entram no meu dia a a dia e caminham comigo lado a lado. Compram comigo o jornal e dizem-me o que devo fazer para o jantar. Gosto desta ilusão de misturar a realidade com a ficção, de ir até ao limite e pisar a fronteira, deixando os personagens entrar no meu dia a dia.  E gosto de entrar eu, por vezes, na sua pele.

Por este livro ser tudo isso, decidi convidar espontaneamente o seu autor para jantar. Não conhecendo a sua casta ou religião, não tinha ideia de quais os seus hábitos alimentares. Então decidi fazer legumes aromatizados com bela luísa e acompanhados com esparguete. Salteei tirinhas de pimento vermelho, cebola roxa e alho francês em azeite e juntei uns raminhos de bela luísa. Expliquei-lhe por que me tinha decidido por uma refeição vegetariana e ele riu-se. Depois perguntei-lhe se aquele expressão de “half-baked” era mesmo verdadeira. E até que ponto o setting do seu romance era real. No final da refeição, dirigiu-se à estante onde estão os livros e comentou que não encontrava ali a razão pela qual tinha sido convidado. “Emprestei-o”, expliquei-lhe, “tal como faço com todos os meus livros preferidos…”. Ele voltou a rir-se e disse-me: “Fizeste bem. Assim puseste o meu livro em viagem e não o deixaste morrer empoeirado numa estante.” Torci o nariz à parte do empoeirado, mas gostei da sua visão positiva. Se há objectos com personalidade, com alma e sem dono, são os livros. São eles os meus mestres, que comandam o meu pensamento enquanto os leio. Assim, há que deixá-los seguir o seu caminho e cumprirem o seu karma.

Assim participo na edição de Maio/Junho do CPJ, desta vez na cozinha da Carla.

6 thoughts on “The white Tiger

    • Pipoka,
      Se eu soubesse do seu paradeiro, iria parar a tua casa, não seriam as distâncias a impedi-lo! 😉
      É mesmo muito bom. Levada pelo White Tiger, comprei o Last Man in Tower, do mesmo autor. Mas nao consegui acabar de o ler…
      Beijinhos
      Sofia

  1. Sofia,
    Já actualizei o meu post. Peço desculpa por não ter apresentado o teu convidado desde logo, mas não recebi a tua mensagem, nem no spam, não faço ideia porquê. Bom, mas já está resolvido. Os escritores que nos prendem dessa forma, que enchem a nossa vida com os seus personagens são muito especiais e merecem toda a nossa atenção. Fiquei a pensar na tua filosofia de emprestar os bons livros para que sigam viagem. Eu sou muito agarrada aos meus livros, tenho sempre muita dificuldade em abrir mão deles. Às vezes gostava de ser um pouco menos egoísta porque um bom livro merece ser partilhado. Obrigada pela tua participação e vou ficar ansiosa pela nova edição do CPJ.
    Beijinhos

    • Olá Carla,
      Ja me aconteceu varias vezes nao ver os meus comentarios publicados no blogger. Nao sei se é um bug do blogger ou azelhice de quem está deste lado do ecrã! 😉
      Obrigada pela actualizaçao do teu post.
      Eu tb sou agarrada aos livros, mas quando um bom amigo me pede um bom livro, eu empresto sempre. E eles… seguem viagem! 😉
      Acho que o melhor é mesmo fazer como disseste no teu post: ir buscá-los à biblioteca. Esses sim, cumprem o seu karma na totalidade!
      Beijinhos
      Sofia

  2. Sofia, já não vinha cá há muito, que saudades!
    Em relação ao Tigre Branco, aquando do seu lançamento em Portugal, fui contactada pela Editorial Presença que ofereceu à Academia dos Livros – blog actualmente parado – um exemplar deste excelente livro. A minha opinião pode ser encontrada aqui http://academialiteraria.blogspot.pt/2009/03/o-tigre-branco.html
    Este projecto é tão bom e eu ando tão alienada do mundo, um dia espero participar! Beijos

    • Ameixinha,
      Nao conhecia o Academia dos livros, mas adorei! 🙂
      Espero que volte ao activo!!!
      E espero que tudo esteja agora a correr pelo melhor!
      Beijinhos
      Sofia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s