Arroz de cabidela – quase – vegetariano

Falou-me a minha mãe um dia que há quem faça arroz de cabidela sem sangue e usando farinha de alfarroba para conferir a típica cor deste prato. Gostei da ideia, resolvi experimentar tentando retratar o arroz de cabidela da minha avó e gostei do resultado. Pus a ferver caldo de frango que tinha feito com os ossos da ave e alguns bagos de pimenta, uns quantos cravinhos e umas folhas de louro. Alourei meia cebola em azeite e juntei arroz de bago redondo, envolvendo bem na cebola e no azeite. Entretanto, numa tacinha, juntei uma colher de sopa de farinha de alfarroba com 2 colheres de sopa de vinagre e 2 cravinhos. Voltei para o arroz e fui juntando o caldo fervente enquanto aquele o bebia. Cozinhei o arroz durante cerca de 1o minutos, juntei a mistura de alfarroba e vinagre e um molhinho de “cheiro verde” picado. Deixei fervilhar mais uns minutos e apaguei o lume. O arroz ficou com bastante caldo, tendo eu cozinhado este prato numa razão de 1 medida de arroz para 4 de caldo. Levei à mesa e sublinho que esta versão de cabidela – que não é vegetariana mas que bem poderia ser – não fica nada aquém da versão mais violenta do prato com a galinha esquartejada e seu sangue.

14 thoughts on “Arroz de cabidela – quase – vegetariano

  1. Sou muito, muito, muito fã da cabidela tradicional, com vinagre a fazer saltar os olhinhos. E confesso que me causa estranheza esta versão semi-veggie. Não há nada como experimentar para tirar as teimas :p

    • que engraçado, acabei de passar pelo teu blogue e reparei que dizes gostar de comidas com sangue. logo pensei que não irias à bola com esta receita de cabidela fingida. na verdade, a semelhança entre a verdadeira e a falsa está na cor e nos temperos.

  2. Achei engraçadíssima a ideia do Arroz de Cabidela com a farinha de alfarroba! E muito original! Nunca me teria passado tal coisa pela cabeça, mas gostei da ideia porque não é fácil arranjar o sangue da galinha com a certeza da sua sã proveniência. Eu adoro Arroz de Cabidela a sério, mas quero experimentar a tua receita e até tenho farinha de alfarroba cá em casa! Obrigada pela sugestão! Bjs. Bombom

  3. Eu gosto muito da cabildela tradicional com o saborzinho acre, sempre feita pela minha mãe. Mas sou igualmente fã de novidades e esta é bastante interessante! Pena não ter foto para espreitar :/ Vou mesmo pôr mãos à obra para ver o resultado ☺
    Bjinhos

    • Ola Vera
      O aspecto é muito parecido com o da cabidela original. Peço desculpa pela falta de foto, mas esta cozinheira – ao contrário de um personagem de banda desenhada do faroeste cujo disparo é mais rápido que a sua sombra – é mais rápida com a colher do que a sua própria sombra. Ficou assim o disparo adiado! 😉
      beijinhos
      Sofia

  4. É certo e sabido – e só não sabe quem não quer – que o sangue não tem sabor nenhum. Sendo assim aqui em casa fazemos a “cabidela” com vinho tinto e vinagre balsâmico. O sabor vem todo do vinagre e que bom que é 😉 Também há papas de sarrabulho sem sangue e o sabor é tão bom quanto a versão original. Esta da alfarroba é uma versão a experimentar, podes ter certeza!

  5. Ameixinha,
    Que bela ideia, fazer a cabidela com vinho tinto. Eu tb acho que o sabor vem todo do vinagre. Mas, confesso, papas de serrabulho nunca provei!…
    beijinhos
    Sofia

  6. Eu gosto bastante de arroz de cabidela e agora fiquei intrigada com esta história toda. Bem razão tem a ameixinha quando diz que o sabor vem todo do vinagre. Vou experimentar tanto esta versão como a do vinho tinto. Fiquei mesmo curiosa… 🙂
    beijocas

    • Margarida,
      Eu tb. gosto muito de arroz de cabidela e a verdade é que nesta versão sem sangue, o sabor da alfarroba não se nota. Tu e a Ameixinha tèm razão: o sabor do vinagre sobrepoe-se.
      beijinhos
      Sofia

  7. Sou uma apaixonada pelo arroz de cabidela!! Mas desde pequena que não como, porque deixámos de ter galinhas. Isto assim acaba por ser uma nova esperança! lol! Fiz uma breve pesquisa pela internet e só encontrei essa farinha num site de fabrico próprio, mas custa 2€/0,5Kg, achei o preço um pouco exagerado. Além sabe onde se pode comprar a farinha?!
    Obrigada 🙂

    • Ola Nita
      Obrigada pelo comentario!
      Sei que no Pingo Doce há à venda.e em principio há em qualquer ervanária.
      Se não encontrares, podes sempre experimentar fazer com vinho tinto, como a Ameixinha faz.
      Sofia

  8. Das caretas de criança à escuridão do arroz, à adoração que hoje tenho pela fabulosa cabidela da minha mãe, confesso que fiquei mesmo curiosa com esta proposta que nos trazes. Vou experimentar para lhe descobrir o gosto.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s