Regresso?

Depois de matar as saudades da família, dos caracóis e imperiais, das favas da avó e do seu queijo de figo, regressámos a esta casa que é a nossa. Deixámos para trás o luar na praia, o pôr do sol no mar e um mar sob a força do Levante, deixámos um sol tórrido e enlevámos o desejo de parar o tempo. Uma chuva miúdinha e um frigorífico vazio acolheram-nos na Prússia. Depois da longa jornada, anseávamos uma refeição reconfortante e nada nos restou senão recorrer às pizzas do italiano aqui na esquina. Levámos as pizzas para o sofá, transformando-as assim em confort food.
Hoje, com o frigorífico abastecido, mas sem a mood para cozinhar, fiz um ensopado de goulash. Cortei uma cebola aos cubinhos e, enquanto cortava dois tomates, pensava nos tomates grandes, cheios e sumarentos que crescem na horta da minha avó. Juntei 2 dentes de alho picadinhos, duas cenouras em cruz em fatias e meio pimento vermelho. Foi tudo ao mesmo tempo para a panela, regado com azeite. Juntei 300 gr. de carne de vaca aos cubinhos e mexi. Lembrei-me de uma carne picada maravilhosa que a minha prima fez com um “ingrediente secreto” e, na sua falta, juntei três fatias de chouriço vermelho cortado miúdinho e pasta de tomate. Quando a carne ganhou cor, juntei um copo de água com caldo de legumes e sal. Deixei apurar. Na mood da preguiça, não me apetecia nem batatas nem arroz e a embalagem de esparguete (a minha confort food por excelência) estava vazia. Então cortei uns papossecos às fatias, dispus no prato e verifiquei que a carne tinha molho suficiente para este ensopado de última hora. Foi à mesa e soube mesmo bem. A minha filha preferiu ensopar o seu pão no copo de água e assim foi comendo, distribuindo a refeição também pelos seus bonecos.

Anúncios

6 thoughts on “Regresso?

  1. Deve doer um bocadinho voltar à Prússia e deixar todas as maravilhas portuguesas para trás! Especialmente o aconchego da família e a comida da mãe 🙂 Fizeste um ensopado bem português, eu até como pão ensopado em molho e nada mais. Nem sou Algarvia nem Alentejana mas, português que é português… não vive sem pãozinho 😉

  2. Ameixinha, trouxe a bagagem cheia de especialidades portuguesas para ir matando as saudades! 🙂
    Tambem nao vivo sem pao. E molhar o pao no molho… mmm!… um prazer a roçar um dos pecados capitais, eheheh!
    bjs

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s