Torta direita de amêndoa

Quando vi o convite da Margarida para celebrar o segundo aniversário do Figo Lampo, pensei que esta era a ocasião perfeita para preparar uma receita algarvia. Em casa, enquanto me dedicava às tarefas do costume, duas ou três receitas vagas deambulavam pelos meus pensamentos. Pus a minha filha na cama, fui buscar um livro com receitas do Algarve e sentei-me na varanda, na esperança que uma brisa fresca acalmasse os 35 graus deste verão prussiano. Apesar do lusco-fusco, não havia qualquer brisa e a pedra do chão exalava ainda o calor que acumulou durante o dia. Lembrei-me das tardes quentes de verão que passávamos na casa dos meus Avós, nos meus tempos de infância. Depois da sesta, íamos para a zona fresca do pátio, que esteve à sombra durante o dia e comíamos figos secos com nozes ou amêndoas. É uma combinação divina! Ou íamos apanhar pêssegos ou ameixas. Ou então, com sorte, a minha Avó lavava o quintal e lá íamos nós em delírio a correr atrás da mangueira! Que belos tempos! Regressei desta viagem ao passado, fechei o tal livro de receitas que afinal nem folheei e fui buscar o meu caderno de receitas. Folheei para a frente e para trás, e ali estava ela, a torta de amêndoa da Avó. “É esta torta que levo à comemoração dos 2 anos do Figo Lampo”, pensei, “afinal, a Margarida tirou a toalha de crochet da Avó, e uma toalha destas pede um bolo da Avó, nem mais!”
A receita era de uma torta e eu não a enrolei para voltar a desenrolar, como a imagem poderia sugerir. A verdade é que ainda não domino a técnica de enrolar e é das tais coisas que só faço na presença da Avó!

Comecei por misturar 175 gr de açúcar amarelo (metade da receita original) a 6 gemas e 7 claras até ficar bem homogéneo e juntei a raspa de um limão. Misturei 150 gr de amêndoa moída com 2 colheres de sopa de farinha com fermento e envolvi suavamente com a mistura dos ovos e açúcar, intercalando com sumo de meio limão (a receita dizia sumo de 1 laranja mas não tinha). Untei uma forma de 18 cm com manteiga e farinha e pus no forno a 150 graus. Entretanto, fiz doce de ovos. Pus um tachinho pequeno ao lume com 2 colheres de sopa de açúcar e outras 2 de água. Quando atingiu o ponto pérola, retirei do lume, juntei a gema que sobrou, mexi rapidamente e voltou ao lume até levantar fervura, mexendo sempre. Tirei o bolo do forno quando o palito saiu seco e fui buscar ao armário a louça prussiana de outra Avó. Dispus o doce de ovos por todo o bolo e lembrei-me que na casa da minha Avó, acompanhamos sempre os bolos com chá de Bela Luísa e limão. Mas o calor pedia um chá fresco, e como estamos na onda das Avós,  fui buscar uma chávena que era da minha Bisavó e fiz um chá frio de menta. A fatia que me era destinada voou sem eu dar por isso e pensei que da próxima vez hei-de também rechear o bolo com o doce de ovos. E foi assim que eu dei a volta a esta torta!

13 thoughts on “Torta direita de amêndoa

  1. Sofia, recordaste-me os fins de tarde no terraço dos meus avós na Manta Rota. O cheiro quente da tijoleira também faz parte das minhas memórias.. Bons tempos e muito boas recordações! E essa torta que virou tarte é um clássico, adoro-a!
    E o que dizer dessa caneca? Não podias ter escolhido melhor. Até os figos vieram completar o cenário. : D
    Obrigada pela tua participação e recordações.
    Um beijinho grande

    p.s. – De que zona do Algarve és?

    • Acho que os Avos marcam sempre a infancia com boas recordacoes, quer seja no campo, na praia ou na cidade! Eu adoro Manta Rota, lembro-me de ir acampar para la, tambem nos tempos de infancia! 🙂 Sou do Barlavento, mas a verdade e que me sinto um pouco de todo o Algarve. Adoro as praias de rochas e falesias tanto como as praias de dunas. E a ilha de Tavira e simplesmente o paraiso na terra. Adoro o barrocal e a costa oeste….
      bjs
      Sofia

  2. Este bolo de Amêndoa delicioso é a imagem do Algarve! Uma óptima ideia para o Lanche de Aniversário do FIGO LAMPO.
    E as imagens do Algarve através das recordações da infância são de uma riqueza incomparável.Tão sentidas e carregadas de afectos!
    Gosto muito de “vir à Prússia” (he,he) e hoje fiz-me seguidora. Bjs. Bombom

  3. Querida Bombom, é um prazer tê-la como seguidora do Reino da Prússia! 🙂
    Eu também sou fiel seguidora do seu estaminé e devo dizer que o seu último post é muito emotivo! Parabéns pelo seu aniversário de casamento e pelo bonito poema!
    bjs
    Sofia

  4. Conheci o teu blog atravás do Figo Lampo, desde já os meus parabéns por teres sido a feliz contemplada com o seu presente de aniversário!
    Gostei do teu blog, virei mais vezes!

    Beijinho.

    • Ola Luisa,

      Obrigada! 🙂 Foi uma bela surpresa para mim!
      Eu tambem costumo passar pelo teu blog, que e muito rico. E uma verdadeira enciclopedia gastronomica e sempre que procuro algo especifico, passo por la!
      E obrigada pelo link, tambem!

      Beijinhos
      Sofia

  5. Olá Sofia!!!!
    Conheci o teu blog graças ao 2º aniversário do Figo Lampo. Desde já os meus parabéns quer pela bela receita deliciosa, quer pelo prémio.
    Gostei imenso deste blog e vou espreitá-lo frequentemente.

    Beijocas 🙂

  6. Olá Carina e Irene!
    Obrigada pelos vossos simpáticos comentários. Passei pelos vossos blogs e gostei igualmente dos “prazeres gourmets” e dos “tesouros da irene”. A visitar mais vezes! 🙂
    Beijinhos
    Sofia

    • Ola Rita! Obrigada pela visita! 🙂
      Estive a ver o teu blogue e achei muito interessante, ate porque Marrocos esta na minha lista de viagens!
      Beijinhos e volta sempre!
      Sofia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s