cozinha experimental

A minha cozinha experimental nao combina ciencia e culinaria nem experimenta novas reaccoes bioquimicas entre os ingredientes. E simplesmente a minha bancada de “trial and error” onde eu, munida de avental e ingenuidade nos “affaires” culinarios, experimento, erro, volto a experimentar, e assim sucessivamente.

Desta vez experimentei fazer abobora recheada com legumes e queijo. Usei uma abobora hokkaido, que cortei longitudinalmente e retirei as pevides, que lavei, limpei e reservei. Lavei e cortei uma couve flor que estava a envelhecer no frigorifico e pus num tabuleiro proprio para forno a abobora desventrada e alguns ramos da couve flor. Pincelei o interior da abobora com azeite e juntei sal e oregaos. Foi ao forno a 150 graus e entretanto comecei a preparar o recheio. Pus numa panela uma batata aos cubinhos, meio pimento vermelho as fatias, alho frances tambem as fatias, o resto da couve flor aos raminhos e um gole de azeite. Deixei cozinhar tudo em lume brando. Entretanto, pus quinoa de molho e cortei aos cubinhos um queijo bulgaro de ovelha tipo feta. O destino destes dois ingredientes foi tambem a panela. Temperei com sal, piripiri e sementes de coentros moidas, mexi, deixei cozinhar mais um bocadinho. Verifiquei a abobora, ainda estava dura. A couve flor estava a secar. Tapei com folha de aluminio, juntei um gole de agua e esperei mais 10 min. Quando finalmente a abobora ficou levemente macia, recheei com os legumes, ralei parmesao e espremi um alho por cima. Sobrou recheio, que foi acompanhar a couve flor. Voltou ao forno ate o parmesao dourar e foi a mesa. Entretanto, nao desliguei o forno, mas baixei para 50 graus e coloquei as pevides com muito sal durante 2 ou 3 horas e que acompanhou a cerveja ao serao, mas para nao voltar a repetir em casa. Para experimentar de novo, e a abobora recheada, mas tentar com certas variacoes: fazer um caldo com vinho branco para ir ao forno com os legumes logo na fase inicial; juntar o queijo feta aos cubinhos so na fase final do forno e nao na panela, para se poder sentir o seu sabor concentrado. Mas o resultado final foi bom e aprovado pelo resto da familia. O meu marido observou que ultimamente ando a experimentar muitas receitas novas. “E para o teu blog?”, perguntou.

Anúncios

2 thoughts on “cozinha experimental

  1. Kuerbis mit Feta scheint mir ne gute Kombination zu sein. Ich denke, der Blumenkohl passt da nicht so richtig rein. Ich wuerde auch sukzessiv vorgehen, allerdings bottom up anstatt top-down, i.e. einfach anfangen. Meistens sind sowieso die einfachen Sachen die Besten. Also: einfach die Fuellung mit den Kuerbis-Innereien und Feta machen. Evtl. ein paar Gewuerze. Das in den Ofen bis der Kurbis wirklich weich ist. Dann wird man sehen was noch fehlt. Evtl garnicht so viel. In der Kuerze liegt die Wuerze.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s